Última hora

Última hora

O passado comunista assombra a Polónia

Em leitura:

O passado comunista assombra a Polónia

Tamanho do texto Aa Aa

Foi no meio da cerimónia que deveria ser o momento da sua investidura que Stanislaw Wielgus anunciou aos fiéis a sua dessistência. Monsenhor Stanislaw Wielgus , 67 anos, nomeado a 06 de Dezembro pelo Papa Bento XVI arcebispo de Varsóvia anulou esta manhã a sua elevação, no meio de grande contestação, depois de ter sido confirmada a sua colaboração como espião da polícia secreta comunista.

Mais um passo em falso de Bento XVI menos de três depois da crise provocada pelas palavras sobre o islão. O Vaticano tinha renovado a sua confiança no futuro arcebispo de Varsóvia num comunicado divulgado a 21 de Dezembro. O documento sublinhava que a “Santa Sé, ao decidir a nomeação do novo arcebispo de Varsóvia, tomou em consideração todas as circunstâncias da sua vida, entre as quais aquelas que dizem respeito ao seu passado”.

De acordo com vários historiadores mais de 10 por cento dos padres polacos colaborou com a polícia secreta comunista apesar de a Igreja ter sido a principal força da oposição ao regime durante 40 anos. Este incidente ameaça pesar sobre a crise que divide profundamente os católicos polacos.