Última hora

Última hora

Protesto no País Basco termina em violência quando Zapatero dá processo de paz por morto

Em leitura:

Protesto no País Basco termina em violência quando Zapatero dá processo de paz por morto

Protesto no País Basco termina em violência quando Zapatero dá processo de paz por morto
Tamanho do texto Aa Aa

Noite de violência em San Sebastian, no País Basco espanhol. O movimento que pede a libertação dos membros da ETA detidos realizou o protesto apesar de ter sido considerado ilegal. A maioria dos quatro mil participantes acabou por dispersar pacificamente, mas algumas centenas de jovens entraram em confrontos com a polícia. Tentaram forçar a entrada no estádio Anoeta, nos arredores da cidade, mas foram impedidos. Há registo de carros e caixotes do lixo incendiados e de pelo menos duas detenções.

Com o atentado no aeroporto de Barajas e a descoberta de explosivos em localidades bascas, a situação é tensa, pois temem-se mais ataques. O primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodriguez Zapatero, considera morto o processo de paz. Palavras proferidas à margem da cerimónia de homenagem às forças militares.

O rei Juan Carlos aproveitou a ocasião para lançar um apelo à unidade do país face ao terrorismo. O chefe do governo irá dentro de dias ao parlamento explicar a sua nova estratégia. Um dossiê difícil depois de meses de luta para defender um processo de paz contestado. A ETA tinha declarado um cessar-fogo em Março e não matava desde 2003. A organização ainda não reivindicou oficialmente o atentado de dia 30. Entretanto, foi repatriada para o Equador a segunda vítima mortal.