Última hora

Última hora

Violência da ETA junta centenas de milhares de pessoas em protesto em todo o país

Em leitura:

Violência da ETA junta centenas de milhares de pessoas em protesto em todo o país

Tamanho do texto Aa Aa

“Pela paz, contra o terrorismo” milhares de espanhóis e não só, encheram as ruas de várias cidades. Manifestações contra a ETA que, pela primeira vez desde o restabelecimento da democracia nos anos 70, não contaram com a presença oficial do Partido Popular, actualmente na oposição.

Em Madrid, o mar de gente contou com pelo menos 175 mil pessoas, segundo os dados fornecidos pelo governo local. Há duas semanas, um atentado com carro armadilhado num parque de estacionamento do aeroporto de Barajas acabou com o cessar-fogo permanente declarado pela ETA em Março do ano passado.

Uma acção terrorista que provocou a morte a dois cidadãos do Equador, as primeiras vítimas mortais da ETA em mais de 3 anos. Em consequência, o governo socialista de Rodriguez Zapatero colocou um “ponto final” no processo de paz que entretanto tinha iniciado com a organização basca.

Em Bilbau, as autoridades locais estimam em 80 mil o número de participantes na marcha silenciosa que para além de apelar à paz e ao diálogo, exigiu à ETA que acabe com a violência. Por isso o Batasuna ficou de fora da manifestação. O chefe do governo basco, Juan José Ibarretxe, afirmou que irá continuar a trabalhar para conseguir “acordos políticos que permitam alcançar a normalização do país basco”.

A Corunha, Pamplona ou Saragoça foram outras das cidades palco de manifestações contra a ETA. O processo de paz iniciado pelo governo socialista há nove meses nunca chegou a ver a luz do dia, o conflito que durá há quase quatro décadas continua sem fim à vista.