Última hora

Última hora

Debate sobre estatuto do Kosovo não é prioridade para democratas sérvios

Em leitura:

Debate sobre estatuto do Kosovo não é prioridade para democratas sérvios

Tamanho do texto Aa Aa

Os partidos democratas na Sérvia iniciaram hoje conversações para formar um governo de coligação que deverá ser chefiado pelos Democratas do presidente Boris Tadic. Apesar da vitória dos nacionalistas no escrutínio de ontem com 28% dos votos, as três formações europeístas, que reuniram mais de 45% dos sufrágios, vão utilizar a maioria no Parlamento para relançar as conversações de adesão à União Europeia.

Bozidar Djelic que deverá ocupar o lugar de primeiro-ministro, sublinhou que antes de reabrir o debate sobre a independência do Kosovo é importante pôr em funcionamento um governo democrático na Sérvia. “A estabilidade do novo executivo é a prioridade absoluta e abordar neste momento a questão do Kosovo poderá trazer consequências negativas a este processo”, afirmou.

Uma declaração que contraria as expectativas de Bruxelas de resolver a questão do Kosovo até meados deste ano, mas que poderá funcionar como um piscar de olhos aos Democratas da Sérvia do ex-primeiro-ministro Vojislav Kostunica. O partido que ficou em segundo lugar entre as formações democratas está aberto a integrar um governo de coligação, mas defende a manutenção do Kosovo em território sérvio.

Ontem nas urnas foram os nacionalistas do Partido Radical Sérvio que recolheram o maior número de votos. Opostos a qualquer negociação sobre o estatuto do Kosovo ou a entrega de prisioneiros de guerra, a formação de Tomislav Nikolic afirmou que se resigna a ficar na oposição.

Nikolic vai esperar para ver o que augura como o “descalabro de uma coligação entre democratas”, prevendo já eleições antecipadas para o final do ano. Os radicais ameaçam declarar o Kosovo como território ocupado caso a ONU decida conceder a independência à província sérvia.

O confronto entre reformistas e democratas, que as urnas parecem ter acentuado, vai ser o cenário da apresentação do relatório do administrador da ONU do Kosovo. Martti Ahtisaari deverá pronunciar-se nos próximos dias sobre o futuro estatuto do território de maioria albanesa.

Ao coro de pressões internacionais sobre Belgrado juntou-se esta tarde a voz do Secretário-Geral da NATO. Jaap de Hoop Scheffer apelou aos líderes sérvios que mostrem “moderação, flexibilidade e pragmatismo” relativamente ao processo negocial do estatuto do Kosovo. Um conselho em forma de advertência à Sérvia que aspira à adesão à Aliança Atlântica com a qual colabora desde há um mês no quadro do programa de Associação para a Paz da NATO.