Última hora

Última hora

OCDE avisa Espanha sobre imobiliário

Em leitura:

OCDE avisa Espanha sobre imobiliário

Tamanho do texto Aa Aa

A Espanha está cada vez mais vulnerável aos aumentos do preço do imobiliário. A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) publicou esta terça-feira um relatório sobre os perigos da subida dos preços das casas para a economia do país. A organização pede ao governo actual que tome medidas para combater a inflação e para conter a explosão do mercado imobiliário.

O fenómeno está ligado a 13 anos consecutivos de crescimento económico. Crescimento esse que foi de 3,75% em 2006 e que deve manter-se, apesar dum ligeiro abrandamento, acima dos 3% este ano e no próximo.

Já a inflação deve baixar, este ano, dos 3,6% para os 2,8% e voltar a subir, em 2008, acima dos 3%. Valores bastante acima do limite de inflação considerado ideal pelo Banco Central Europeus, que é de 2%. O consumo deve abrandar, mas muito ligeiramente. Segundo a OCDE, a economia espanhola precisa de mais concorrência e maior flexibiliade no mercado de trabalho, isto para que a economia continue a crescer, mas a inflação possa baixar.

A forte procura doméstica tem ajudado estes valores, mas a culpa pertence também aos especuladores que mantêm o preço das casas a níveis demasiado altos. O relatório da OCDE diz que, se os preços do imobiliário reflectissem apenas os elementos fundamentais da economia, teriam de sofrer uma forte queda.

A organização aconselha o governo a encorajar os arrendamentos, uma vez que a maioria dos espanhóis prefere comprar casa. O actual executivo de Madrid tem como objectivo ultrapassar a Alemanha e a Itália em termos de PIB per capita, até 2010.