Última hora

Última hora

Polémica estala na corrida presidencial francesa

Em leitura:

Polémica estala na corrida presidencial francesa

Tamanho do texto Aa Aa

O jornal satírico francês Le Cannard Enchaine publicou uma notícia dando conta que o conselheiro de campanha de Segolene Royal para questões ambientais, Bruno Rebelle, foi alvo de investigações por parte dos serviços de segurança interna. Os chamados Renseignements Generaux (RG) estão na dependência do ministro do Interior, Nicolas Sarcozy, que é também candidato à presidência.

O líder do partido socialista François Hollande acusou Sarkozy de utilizar o ministério do Interior para os seus propósitos eleitorais por alegadamente investigar os membros da equipa de Segolene Royal. Hollande aproveitou também para se dirigir ao eleitorado, pedindo para que reflicta sobre o tipo de república que Sarcozy poderá instituir, caso ganhe as eleições.

Confrontado, o candidato da UMP foi parco em palavras mas considerou serem acusações ridículas e pediu serenidade aos adversários.

A direcção dos serviços de segurança interna confirmou ter uma ficha do antigo director da Green Peace francesa, mas que não foi dada uma ordem especial de investigação, já o jornal Le Parisien confirmou através de pessoas ligadas ao ministério do Interior que um membro do gabinete pediu de facto a investigação.