Última hora

Última hora

Um país inteiro sem futebol por causa da violência

Em leitura:

Um país inteiro sem futebol por causa da violência

Tamanho do texto Aa Aa

Itália viveu hoje o segundo dia sem competições futebolísticas, em todos os escalões, na sequência da morte de um polícia por adeptos em fúria. A mais alta instância desportiva do país reuniu-se hoje de manhã para decidir que medidas adoptar.

Mario Pescante, membro do Comité Olimpico Internacional e antigo presidente da estrutura nacional, é da opinião que se deveria recuperar uma lei de 2001, de inspiração britânica, mas que as pressões durante o processo legislativo tornaram ineficaz.

A imprensa italiana deste domingo avança que as sanções imediatas podem passar por uma suspensão das competições durante duas semanas e duas jornadas com desafios à porta fechada.

Nas ruas os italianos esperam que esta suspensão possa ser útil e querem que se faça algo para salvar o futebol. Outros afirmam que o desporto-rei se encontra num impasse e que se não forem tomadas medidas duras será o fim do Calcio.

Na sexta-feira, por ocasião, do derby siciliano Catania-Palermo, os adeptos da equipa da casa atacaram as forças policiais matando um inspector. O relatório preliminar na autópsia contraria a versão inicial. A morte de Filippo Raciti não se terá ficado a dever ao rebentamento de um petardo junto à cara mas sim ao lançamento de um objecto que lhe terá esmagado o fígado.