Última hora

Última hora

Governo alemão pressiona EADS sobre empregos na Airbus

Em leitura:

Governo alemão pressiona EADS sobre empregos na Airbus

Tamanho do texto Aa Aa

O governo alemão quer segurar, a todo o custo, os empregos alemães da Airbus. O executivo de Berlim pondera rever as encomendas militares ao grupo EADS, se a casa-mãe da construtora aeronáutica europeia avançar com o plano que prevê a eliminação de vários milhares de postos de trabalho no país.

O ministro da Economia, Michael Glos, diz que a Alemanha vai lutar por todos os meios contra esta medida.

Para fazer face aos custos adicionais decorrentes do atraso na entrega do A380, a Airbus deve suprimir 8000 postos de trabalho na Alemanha. Este é um dos pontos do plano de reestruturação do presidente da Airbus Louis Gallois, baptizado Power 8.

A sede alemã da Airbus, e principal fábrica no país, está na cidade de Hamburgo, no Norte da Alemanha. Aqui trabalham mais de 11.400 pessoas. A Airbus tem seis outras fábricas em território alemão, cinco das quais igualmente no Norte.

A ameaça dos despedimentos pende também sobre vários milhares de empregos nos fornecedores da empresa aeronáutica.

O presidente da Airbus e co-presidente da EADS deve encontrar-se, na próxima semana, com Michael Glos e, muito provavelmente com a chanceler Angela Merkel.

Grande parte dos trabalhadores alemães da Airbus participou em várias manifestações na sexta-feira, pela manutenção dos postos de trabalho. O sindicato IG Metall ameaça fazer greves que podem atrasar ainda mais o programa de entregas do A380.