Última hora

Última hora

CE apresenta proposta de redução das emissões de gases poluentes no sector automóvel

Em leitura:

CE apresenta proposta de redução das emissões de gases poluentes no sector automóvel

Tamanho do texto Aa Aa

Num momento em que as alterações climáticas preenchem parte das agendas da comunidade internacional, a Comissão Europeia faz das emissões de dióxido de carbono o símbolo da sua determinação.

Após várias semanas de controvérsia, Bruxelas vai apresentar esta quarta-feira a sua estratégia para obrigar a indústria automóvel a reduzir de forma mais significativa as emissões de CO2.

O documento prevê, até 2012, uma redução para 130 gramas de dióxido de carbono por quilómetro contra os actuais 160 permitidos pela lei.

Inicialmente, o executivo europeu tinha previsto uma redução para 120 gramas por quilómetro, mas o lobby da indústria automóvel alemã impediu um acordo neste sentido.

Os restantes 10 gramas deverão ser conseguidos através da melhoria dos pneus, dos combustíveis e de ares condicionados menos consumidores, apenas para citar alguns exemplos.

Aat Peter, perito da ONG Transport and Environment, refere que “qualquer política ligada ao ambiente é uma política mista. Portanto, há inovação técnica nos carros, nos pneus, nos combustíveis e em muitos outros aspectos como a gestão do tráfego. Estes elementos são todos importantes e nenhum deverá ser preterido em detrimento de um outro.”

Entre 1998 e 1999, os construtores presentes no mercado europeu comprometeram-se a baixar para 140 gramas por quilómetro as emissões de CO2 dos seus automóveis até 2008-2009. No entanto, em 2005 a média de emissões era ainda de 162 gramas por quilómetro.

Mas como os jipes ou os mono-espaços são os principais responsáveis pelas emissões de CO2, Wolfgang Tiefensee, o ministro dos Transportes
alemão, defende a criação de um “código de boa conduta que tenha em conta todos os segmentos do mercado, para que os construtores de pequenas cilindradas não fiquem a olhar enquanto os construtores de grandes cilindradas resolvem todos os problemas.”

As emissões do transporte rodoviário representam actualmente um quarto das emissões de CO2 da União Europeia.