Última hora

Última hora

Governo Prodi defende em uníssono permanência no Afeganistão

Em leitura:

Governo Prodi defende em uníssono permanência no Afeganistão

Tamanho do texto Aa Aa

O governo italiano expressou ontem o desagrado pela ingerência na política externa de seis embaixadores acreditados em Roma, entre os quais o representante norte-americano. Uma reunião entre o governo e os responsáveis dos nove partidos que formam a coligação no poder serviu para cimentar posições a respeito da presença no Afeganistão.

Antes do encontro, o vice-primeiro-ministro Francesco Rutelli estava “confiante na unidade da maioria e na manutenção de uma política externa coerente, respeitadora dos compromissos internacionais, autónoma e cada vez mais considerada no exterior, que merecerá o apoio de todo o centro-esquerda”.

A tomada de posição do Departamento de Estado norte-americano, que considerou a iniciativa dos embaixadores louvável, veio agravar a situação. Numa carta aberta, os representantes diplomáticos de seis países instaram o governo de Roma a manter a presença militar no Afeganistão.

Cerca de dois mil soldados italianos integram a missão da NATO naquele país. O financiamento desse contingente deverá ser votado no Parlamento até ao final de Março. A reunião de ontem à noite serviu, por isso, para criticar as ingerências estrangeiras e para ultrapassar as divisões do governo italiano a esse respeito.