Última hora

Última hora

Alegria e optimismo moderado em torno de acordo entre Hamas e Fatah

Em leitura:

Alegria e optimismo moderado em torno de acordo entre Hamas e Fatah

Tamanho do texto Aa Aa

A satisfação invadiu as ruas palestinianas e o verde do Hamas e o amarelo da Fatah encontram-se agora lado a lado num governo de unidade estabelecido pelos seus dirigentes, em Meca. No horizonte está o fim dos confrontos internos e o avanço no processo de paz com Israel. A alegria é evidente mas o optimismo é moderado, principalmente entre a comunidade internacional.

Na Arábia Saudita, o líder do Hamas Khaled Mechal, o primeiro-ministro Ismayel Hanieh e o dirigente da Fatah e presidente palestiniano Mahmoud Abbas concluíram o acordo, envolvidos pelo simbolismo religioso da cidade de Meca. Além de poder acabar com os confrontos que desde Dezembro provocaram mais de 60 mortos, o compromisso pode também abrir a porta ao fim do bloqueio das ajudas financeiras da União Europeia e dos Estados Unidos e o congelamento das receitas fiscais detidas por Israel. Mas no acordo não está presente o exigido reconhecimento explícito do Estado hebraico por parte do Hamas.

Em Hebron, na Cisjordânia, o sentimento é de esperança. “Esperamos que exista empenho e que esta seja a chave para levantar o cerco imposto ao povo palestiniano”, confessou um palestiniano. Outro acrescentou: “Temos esperança que este acordo seja aplicado e que não sejam apenas palavras como os anteriores, especialmente por ter sido estabelecido na terra sagrada de Meca.” Cautelosamente, a União Europeia e os Estados Unidos prometeram reacções depois de estudarem o compromisso entre a Fatah e o Hamas.