Última hora

Última hora

Contestação ao presidente já causou 120 mortos

Em leitura:

Contestação ao presidente já causou 120 mortos

Tamanho do texto Aa Aa

A tensão mantém-se na Guiné-Conacri, onde a contestação ao presidente Lansana Conté já fez 120 mortos desde o início de Janeiro, de acordo com dados divulgados por uma ONG local, a Organização Guineense de Defesa dos Direitos Humanos. Na segunda-feira à noite, Conté decretou o estado de sítio, impondo um recolher obrigatório entre as seis da tarde e o meio-dia.

A decisão foi tomada depois dos principais sindicatos guineenses terem prolongado por tempo indeterminado a greve geral que já dura desde Janeiro. A contestação ao presidente Lansana Conté, no poder há 23 anos, assumiu novos contornos com a nomeação de Eugène Camara para o cargo de primeiro-ministro, uma escolha contestada pelos sindicatos.

Esta quarta-feira, apesar de uma relativa acalmia nos protestos, há relatos de pilhagens e de abusos dos militares.

Dezenas de estrangeiros foram repatriados e a comunidade internacional começa a mostrar-se inquieta com a situação.

Nesse sentido, um grupo de reflexão sediado em Bruxelas instou a União Africana, o Gana, a França e os Estados Unidos a apoiarem a Guiné-Conacri rumo a uma mudança pacífica.