Última hora

Última hora

Morreu o ex-ministro cúmplice do Holocausto

Em leitura:

Morreu o ex-ministro cúmplice do Holocausto

Tamanho do texto Aa Aa

Maurice Papon faleceu aos 96 anos num hospital nos arredores de Paris. Foi o único responsável do regime colaboracionista francês de Vichy condenado pela deportação de judeus para campos de concentração nazis, durante a II Guerra Mundial.

Em 1998, um tribunal francês sentenciou Papon a 10 anos de prisão por cumplicidade “de crimes contra a humanidade” quando era secretário-geral da prefeitura do departamento de Gironde mas apenas cumpriu três, por motivos de saúde. Uma decisão que indignou muitas pessoas em França, sobretudo os sobreviventes do Holocausto.

Entre 1942 e 1944, cerca de 1.690 judeus de Bordéus foram enviados para campos de concentração, sob as ordens de Papon. Antes de prestar contas com a justiça, Maurice Papon fez uma grande carreira na Administração Pública que culminou em 1978 ao ser nomeado Ministro do Orçamento no gabinete de Giscard d’Estaing. Cargo onde permaneceu até ao surgimento da primeira denúncia por participação na deportação de judeus.

Antes foi prefeito na Argélia (entre 1956 e 1958), durante a guerra da independência desta antiga colonia francesa, e em Paris nos anos seguintes. Em 1981, o jornal “Le Canard Enchainé” publicou documentos datados de 1943 e de 1944 assinados por Papon que revelavam o seu envolvimento na deportação de judeus.