Última hora

Última hora

Dezenas de mortos em atentado no "Expresso da Amizade", maioria das vítimas são paquistanesas

Em leitura:

Dezenas de mortos em atentado no "Expresso da Amizade", maioria das vítimas são paquistanesas

Tamanho do texto Aa Aa

A polícia indiana deteve um suspeito do atentado contra um comboio de passageiros esta noite que tirou a vida a pelo menos 67 pessoas. Outras 60 ficaram feridas.

As autoridades não têm dúvidas de que o ataque terrorista teve como objectivo acabar de vez com o processo de paz entre a Índia e o Paquistão por causa da região de Cachemira.

Antes do atentado, que ainda não foi reivindicado, estava previsto um encontro entre responsáveis dos dois países. Apesar do ataque, a reunião foi mantida.

Tudo se passou por volta da meia noite, perto de Panipat, a 100 quilómetros de Nova Deli, quando duas bombas explodiram no interior daquele que é conhecido como o “Expresso da Amizade”, o único comboio que assegura a ligação entre a India e o norte do Paquistão.

Começa agora a identificação das vítimas mortais, um trabalho que nem sempre é fácil. Há ainda muita gente desaparecida. Os microfones das televisões e das rádios estão a ser usados para ajudar na procura.

Este passageiro explica que não têm qualquer informação até agora, já viram vários corpos, mas muitos estão completamente carbonizados, não podem ser identificados nem pelas roupas.

O último ataque terrorista em comboios indianos foi perpetrado em Bombaím, em Julho do ano passado, morreram 187 pessoas, mais de oitocentas ficaram feridas.