Última hora

Última hora

Presidente italiano deposita futuro do executivo Prodi nas mãos do Parlamento

Em leitura:

Presidente italiano deposita futuro do executivo Prodi nas mãos do Parlamento

Presidente italiano deposita futuro do executivo Prodi nas mãos do Parlamento
Tamanho do texto Aa Aa

Três dias após demitir-se, Romano Prodi foi reconduzido no cargo de primeiro-ministro pelo chefe de Estado italiano. A decisão, anunciada esta manhã por Giorgio Napolitano, arrisca-se no entanto a abrir um segundo capítulo na crise política. A continuidade do executivo de centro-esquerda está agora dependente do voto de confiança das duas câmaras do Parlamento onde a vitória de Prodi está longe de ser um dado adquirido.

O primeiro-ministro agradeceu esta manhã a confiança depositada pelo presidente no seu executivo, insistindo numa resolução rápida da crise. Ontem a União, a coligação de centro-esquerda chefiada por Prodi, tinha reafirmado o apoio ao líder e ao seu programa de governo de 12 pontos não negociáveis. Uma situação que, para o presidente Napolitano, justifica a sua decisão de reconduzir o primeiro-ministro, face ao que considerou ser, “uma garantia de que o executivo terá a coesão e eficácia indipensáveis ao desempenho das suas funções”.

Após conhecer a decisão do chefe de Estado, Romano Prodi reuniu-se com os presidentes do Senado e da Câmara dos Representantes que deverão convocar para meados da próxima semana os respectivos votos de confiança. Se na câmara baixa do Parlamento, a União tem uma clara maioria, no Senado conta com os votos de cinco dissidentes de centro-direita para superar uma maioria frágil de apenas um assento.

Prodi tinha apresentado demissão na quarta-feira, na sequência de divergências na coligação sobre temas de política externa. Entre as condições impostas para se manter no poder exigiu o consenso da sua coligação em torno das posições do primeiro-ministro, da política externa à Economia.