Última hora

Última hora

Sindicatos e trabalhadores inquietos face a apresentação do plano de restruturação da Airbus

Em leitura:

Sindicatos e trabalhadores inquietos face a apresentação do plano de restruturação da Airbus

Tamanho do texto Aa Aa

Os sindicatos europeus da Airbus mobilizam-se para organizar uma resposta comum ao plano de restruturação da construtora aeronáutica. Representantes sindicais franceses e alemães decidiram reunir-se em Bruxelas para tentar limitar o impacto social do plano “Power 8”, que vai ser apresentado amanhã à comissão de trabalhadores da Airbus.

Citando fontes próximas da empresa, o jornal alemão Die Welt diz hoje que está prevista a supressão de 3500 empregos em França e 4200 na Alemanha, que poderão ainda ver encerradas duas fábricas cada, nos respectivos territórios. Com 40.000 dos 55.000 trabalhadores da Airbus repartidos por onze fábricas, a Alemanha e a França são os países mais afectados pelo plano de restruturação.

Em Saint Nazaire, uma das fábricas francesas em risco de ser encerrada, um representante sindical diz que “os alemães reclamam equidade entre a França e a Alemanha”. Acrescenta que “têm a impressão que este local pode ser vendido ou cedido para agradar aos assalariados ou accionistas alemães.”

Um outro diz que “têm um rol de encomendas completo, com previsões para a construção de 23 a 24 mil aviões em 20 anos e, portanto, não compreendem o que se está a passar”.

Em pelo menos uma fábrica francesa, os assalariados decidiram-se por uma “interrupção espontânea” do trabalho em protesto.

Na sexta-feira passada, a chanceler alemã Angela Merkel e o presidente francês Jacques Chirac tentaram acalmar os ânimos, concordando sobre a necessidade de partilha dos “sacrifícios” entre os dois países, mas prometendo manter-se vigilantes em relação aos empregos.