Última hora

Última hora

Praças europeias ainda não se refizeram da queda da bolsa de Xangai

Em leitura:

Praças europeias ainda não se refizeram da queda da bolsa de Xangai

Praças europeias ainda não se refizeram da queda da bolsa de Xangai
Tamanho do texto Aa Aa

As bolsas europeias fecharam, novamente, no vermelho, esta quarta-feira. Londres foi quem mais perdeu: 1,82%; Frankfurt recuou 1,53% e, em Lisboa, o PSI-20 encerrou também em terreno negativo, com uma queda de 1,04% para os 11.693,02 pontos.

As praças europeias ainda não se refizeram do susto de ontem, quando a bolsa de Xangai caiu 8,8% – a maior perda dos últimos dez anos.

O analista Nish Koteca, no entanto, não está receoso. Diz que isto pode dar novamente mais sentido ao mercados, ao clarificar as oportunidades e o valor real dos títulos. E está convencido que só terá impacto no curto prazo.

A maioria das bolsa asiáticas também encerrou em perda. Tokyo, a segunda maior praça mundial, perdeu 2,85 por cento. E em Manila, o índice filipino recuou 7,9 por cento – o maior recuo dos últimos nove anos.

Xangai, quando a ela, recuperou da queda de ontem e encerrou a ganhar 3,94 por cento. Alguns investidores aproveitaram a bem a queda dos títulos, para comprarem acções de empresas chinesas a baixo preço.