Última hora

Última hora

De Juana Chaos põe fim à greve de fome depois de reduzida a pena de prisão

Em leitura:

De Juana Chaos põe fim à greve de fome depois de reduzida a pena de prisão

Tamanho do texto Aa Aa

De Juana Chaos terminou a greve de fome. Um dos elementos mais perigosos da ETA, José Ignacio de Juana Chaos, estava em greve de fome desde Novembro e encontrava-se internado num hospital de Madrid. Falta-lhe cumprir um ano de prisão, depois que a justiça e o governo decidiram, esta quinta-feira, reduzir a pena devido ao estado de saúde do etarra.

Quando sair do hospital para onde foi transferido em San Sebastien no País Basco, De Juana Chaos vai ficar em prisão domiciliária. O terrorista da organização separatista basca assassinou 25 pessoas.

O ministro do Interior, Alfredo Rubalcaba, admite que as medidas tomadas são polémicas: “Estou convencido de que se não tivesse tomado esta decisão De Juana teria morrido nas próximas horas. Estou consciente de que muitos cidadãos consideram que De Juana não merece este tratamento humanitário, que ele não teve piedade das vítimas… e dou-lhes razão. Mas a diferença entre nós e os terroristas é que nós preocupamo-nos com a vida das pessoas”

É mais um episódio a contribuir para a divisão da sociedade espanhola que tem de um lado os apoiantes do primeiro-ministro e do processo de paz, do outro o Partido Popular. O porta-voz do partido, Miguel Angel Acebes, reafirma a sua posição: “Zapatero vai passar à história como o presidente do governo que humilhou as vítimas do terrorismo, que submeteu o Estado de direito à chantagem do assassino de 25 pessoas… E isto apenas dois meses depois de duas pessoas morrerem no atentado de Barajas”.