Última hora

Última hora

Autoridades abrem inquérito sobre alegada brutalidade polícial

Em leitura:

Autoridades abrem inquérito sobre alegada brutalidade polícial

Tamanho do texto Aa Aa

A comissão de queixas da polícia britânica anunciou a abertura de um inquérito para determinar se houve má conduta policial durante a detenção de uma jovem de 19 anos, em Julho, à saída de uma discoteca de Sheffield, no norte de Inglaterra.

O registo de uma câmara de vigilância demonstra que o agente policial utilizou violência contra Toni Comer, que garante sofrer de sequelas das agressões. “Sofro muito com dores de cabeça depois desse dia. Tenho uma terrível marca na nuca. Os meus braços estavam num estado lastimável e fiquei com uma marca debaixo do olho que ainda tenho mas que consigo disfarçar facilmente”, refere.

Toni Comer suspeita ter havido racismo. “O rapaz com quem saí era também asiático por isso acho que houve algo de racial. Não havia agentes negros mas é possível. Gostaria de pensar que não, mas é uma possibilidade”, diz.

Um dos agentes que procederam à detenção assume ter utilizado métodos duros mas que foi em legítima defesa e depois de muita provocação.

A queixosa diz que não se recorda de nada porque aparentemente teve um ataque epiléptico.