Última hora

Última hora

Bush termina no México ronda diplomática pela América do Sul

Em leitura:

Bush termina no México ronda diplomática pela América do Sul

Tamanho do texto Aa Aa

George Bush, em pose de amigo americano, prosseguiu ontem na Guatemala a sua ronda por cinco países da América do Sul – a penúltima paragem antes de aterrar esta manhã no México. Uma operação de charme sob medidas de segurança reforçadas. Entre aclamações e manifestações, o presidente norte-americano prosseguiu a missão de promover o papel de Washington no desenvolvimento do sub-continente.

Bush afirmou que, “a Guatemala e os Estados Unidos são dois parceiros que trabalham em conjunto para melhorar o acesso à educação e à saúde, para abrir caminho ao emprego nos Estados Unidos e para tirar milhões de pessoas da pobreza, reforçando os seus laços comerciais”.

Um discurso apoiado por duas visitas simbólicas, a uma escola onde equipas médicas norte-americanas prestam cuidados de saúde à população,
e a uma cooperativa agrícola que beneficia do acordo de livre-comércio da América Central – assinado há um ano pela Guatemala – exportando produtos para grandes distribuidores norte-americanos. À semelhança do que se passou no Brasil, Uruguai e Colômbia, a visita de Bush enfrentou uma vaga de contestação popular.

Na capital mais de dois milhares de pessoas protestaram contra a visita, denunciando as consequências sociais e ambientais dos acordos com Washington, contestados também pelos democratas norte-americanos.

Bush termina hoje no México a sua ronda de cinco dias – o país menos atingido pelos ventos de esquerda que sopram no continente e um dos principais parceiros económicos de Washington.

Um dos únicos países onde o presidente espera chegar a acordos nas áreas da Imigração, combate à droga e desenvolvimento económico – os pontos essenciais da agenda de “boa vizinhança”, que transporta há dias na bagagem.