Última hora

Última hora

Mastrogiacomo passou por "15 prisões diferentes"

Em leitura:

Mastrogiacomo passou por "15 prisões diferentes"

Tamanho do texto Aa Aa

Esta é a primeira foto de Daniele Mastrogiacomo depois de ter sido libertado. O repórter italiano e o intérprete estão nas mãos da organização humanitária Emergency, ainda em solo afegão. Depois de meia dúzia de fotos, o jornalista estabeleceu uma ligação telefónica com o jornal La repubblica, para onde trabalha: “Muito obrigado a todos pelo apoio, estou bem mas houve alturas complicadas, eu estava preso com as mãos e os pés atados, estive em 15 prisões diferentes, eram pequenas casas no meio do deserto, fizeram andar quilómetros a pé durante a noite e tive de domir no meio das dunas”.

Daniele Mastrogiacomo e o intérprete foram libertados ao fim de 15 dias de cativeiro, foram raptados alegadamente por suspeitas de espionagem. O condutor afegão que os acompanhava foi executado há alguns dias, segundo fonte Taliban.

Gino Strada, o médico fundador da organização foi um dos principais intervenientes em toda a operação. O irmão de Daniele Mastrogiacomo, Alessandro, diz que fisicamente o jornalista se encontra “bem mas mentalmente muito cansado”, quando lhe falou sobre a mobilização em Itália “agradeceu e chorou de emoção”.

Daniele Mastrogiacomo e o intérprete foram entregues pelos Taliban da região de Helmand ao chefe de uma tribo local, depois passaram para as mãos da organização Emergency, em troca da libertação de cinco prisioneiros Taliban.