Última hora

Última hora

Companhia ferroviária francesa ilibada de colaboração na deportação de judeus

Em leitura:

Companhia ferroviária francesa ilibada de colaboração na deportação de judeus

Tamanho do texto Aa Aa

A companhia ferroviária francesa SNCF foi absolvida da acusação de ter colaborado na deportação de milhares de judeus para campos de concentração durante a segunda guerra mundial. A decisão foi tomada, esta terça-feira, por um tribunal de Bordéus, em segunda instância, que considerou não ter competência para se pronunciar sobre o assunto.

As facturas passadas pela SNCF na altura serviram de provas contra a própria companhia, mas o advogado Yves Baudelot considera que essas facturas “provam que a empresa agia sob requisição e que não tinha margem de manobra” porque era pressionada pelas autoridades alemãs e pelo Estado francês.

A companhia ferroviária foi condenada por um tribunal de Toulouse, em Junho de 2006, a pagar 62 mil euros de indemnização a quatro membros da família do eurodeputado verde Alain Lipietz, cujo pai foi deportado no dia 10 de Maio de 1944 de Toulouse para Darcy, em França.

Alain Lipietz confirmou à saída do tribunal que “a justiça administrativa diz que não pode julgar a SNCF por considerar que a companhia prestou um serviço comercial como outro qualquer”. A família Lipietz não pretende ficar por aqui e já anunciou que vai levar o caso ao Conselho de Estado.

No total 75 mil judeus franceses foram deportados para campos de concentração, apenas 2500 sobreviveram. A decisão de hoje era aguardada com grande expectativa por cerca de dois mil antigos deportados ou membros de famílias de vítimas que apresentaram queixa no seguimento da condenação da SNCF no ano passado.