Última hora

Última hora

Caso Kurnaz continua a embaraçar Steinmeir

Em leitura:

Caso Kurnaz continua a embaraçar Steinmeir

Tamanho do texto Aa Aa

Um risco para a segurança da Alemanha. Foi assim que o antigo ministro da chancelaria alemã classificou Murat Kurnaz, um jovem de nacionalidade turca nascido na Alemanha e que esteve detido perto de cinco anos na prisão de Guantánamo Bay. O agora ministro dos Negócios Estrangeiros Frank-Walter Steinmeier respondeu esta quinta-feira perante uma comissão parlamentar depois ter sido acusado pela oposição de não ter permitido o regresso de Kurnaz à Alemanha em 2002.

Horas antes, o antigo ministro do interior da Altura, Otto Schilly assumia a responsabilidade perante a mesma comissão de inquérito: “A avaliação da situação competia ao Ministério do Interior e às autoridades subalternas, e eu assumo facilmente essa responsabilidade”, disse.

Os Estados Unidos terão concluído há cinco anos que Kurnaz, afinal não seria perigoso, e dispuseram-se a libertá-lo desde que a Alemanha aceitasse o regresso do detido. Berlim rejeitou a proposta americana e os serviços secretos alemães classificaram o alemão-turco como uma ameaça à segurança interna. Kurnaz foi libertado em 2006 depois de seis anos na prisão de alta segurança onde afirma ter sido torturado.