Última hora

Última hora

CE multa cervejeiras por práticas de cartel

Em leitura:

CE multa cervejeiras por práticas de cartel

Tamanho do texto Aa Aa

A Comissão Europeia aplicou muiltas, num valor total de 274 milhões de euros, a três grandes cervejeiras, por alegadamente formarem um cartel na Holanda. As três companhias em causa são a Grolsch, a Bavaria e a Heineken. A InBev, maior empresa mundial neste sector, está também envolvida, mas viu a multa perdoada, por ter fornecido informações.

A comissária para a Concorrência, Neelie Kroes, explica as condições em que se deu este entendimento ilegal: “Entre 1996 e 1999, estas cervejeiras coordenaram os preços, e o aumento dos preços, na Holanda. A Comissão Europeia não tolera cartéis e, quem tomar parte em cartéis, enfrenta multas substanciais”.

A Bavaria e a Grolsch anunciaram que iriam recorrer da decisão de Bruxelas. Quanto à Heineken, maior cervejeira holandesa, e uma das líderes mundiais, disse que estava a estudar o assunto. Os executivos da InBev, empresa de capitais brasileiros e belgas, limitaram-se a dizer que este caso já é muito antigo. A InBev, fabricante de marcas como Stella Artois e Antárctica, é a única empresa não-holandesa envolvida neste escândalo.

As práticas de cartel estendem-se a outros países e a outras empresas. A Comissão lançou as investigações em 2000 e houve já outras duas condenações colectivas, na Bélgica e no Luxemburgo. Havia também suspeitas sobre cartéis em Portugal, Itália e Dinamarca, mas os dossiês foram encerrados sem haver uma conclusão.