Última hora

Última hora

Quatro capitais europeias acolhem manifestações de protesto contra a crise no Darfur

Em leitura:

Quatro capitais europeias acolhem manifestações de protesto contra a crise no Darfur

Tamanho do texto Aa Aa

Duzentos mil mortos, mais de dois milhões de deslocados em apenas quatro anos… Os números são do Darfur no Sudão, um balanço aterrador que levou a realização de manifestações em várias cidades europeias. Protestos que pretendem contribuir para fazer pressão junto das autoridades de forma a aumentar o número de soldados internacionais no terreno.

No Dia Mundial para o Darfur, que assinala quatro anos de conflito, várias centenas de pessoas concentraram-se em Londres junto à residência do primeiro-ministro Tony Blair. Um manifestante considera que é seu dever alertar o mundo para o genocídio no Darfur e também protestar contra o governo sudanês que não tem vergonha do que se passa no país e deveria pensar no futuro das gerações.

Em Berlim, as acusações viraram-se mais para o próprio executivo que acusam de nada fazer para evitar o genocídio. Uma manfestante aponta o dedo a Angela Merkel, considera que o governo é completamente inactivo nesta matéria e que os alemães ainda não estão bem informados sobre a crise no Darfur.

Também em Roma e Estocolmo centenas de pessoas assinalaram o quarto aniversário da crise na região. Querem mais tropas internacionais e asseguram que, apesar dos comunicados de boas intenções, não há uma iniciativa concreta para resolver o conflito e crise humanitária na região.

Fim: os vips clooney e afins