Última hora

Última hora

Cimeira EUA-UE cria Conselho Económico Transatlântico

Em leitura:

Cimeira EUA-UE cria Conselho Económico Transatlântico

Tamanho do texto Aa Aa

À semelhança do acordo de céu aberto, as relações económicas entre os Estados Unidos e a Europa estão prontas a voar mais alto. Assinado esta segunda-feira, o “acordo de céu aberto” fecha cinco anos de negociações. Em vigor a partir de Março do próximo ano, permitirá a qualquer transportadora aérea europeia voar para qualquer aeroporto norte-americano, e reciprocamente.

A grande novidade desta Cimeira União-Europeia-Estados Unidos é a criação de um Conselho Económico Transatlântico, que permitirá reforçar e harmonizar as relações económicas entre os dois blocos. Juntos, representam 60% do PIB mundial e 40% do comércio global. E na balança comercial, é a União Europeia quem mais ganha. Em 2006, as importações norte-americanas representaram 178 mil milhões de euros, ao passo que as exportações europeias para os Estados Unidos ascenderam a 269 mil milhões de euros, impulsionadas, em parte, pela Alemanha, que é o principal exportador europeu. Veículos e maquinaria representaram a maior parte dos bens transaccionados de parte a parte.

O conselheiro de Washington para os assuntos económicos, Allan Hubbard, e Gunter Verheugen, vice-presidente da Comissão Europeia, com a pasta da Indústria, lideram o novo Conselho Económico Transatlântico, que terá como prioridades os sectores cosmético, farmacêutico, automóvel e dos electrodomésticos, para os quais os dois blocos pretendem harmonizar as regras, as normas e mesmo os direitos de propriedade intelectual.

O novo órgão reunir-se-á duas vezes por ano, pelo menos, para monitorar os progressos. O objectivo é pôr fim às barreiras não tarifárias para agilizar mais ainda as relações económicas entre os Estados Unidos e a União Europeia.