Última hora

Última hora

Relatório condena actuação de Telavive face à guerra no Líbano

Em leitura:

Relatório condena actuação de Telavive face à guerra no Líbano

Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro israelita, o titular da Defesa e o antigo chefe do Estado Maior são os principais responsáveis pelas falhas da guerra no Líbano. É esta a conclusão do relatório entregue hoje pela comissão Winograd a Ehud Olmert e Amir Peretz, um documento que vem abalar ainda mais um governo que enfrenta uma crescente impopularidade.

A comissão liderada pelo antigo juíz supremo Eliyahu Winograd analiza desde Outubro a actuação política e militar de Israel, antes e durante os primeiros dias do conflito do Verão passado contra o Hezbollah libanês. Winograd disse que foram feitos “erros graves” na condução da guerra que, segundo a comissão, foi desencadeada sem planificação adequada.

A forte pressão da opinião pública e de centenas de reservistas já tinha conduzido em Janeiro à demissão do general Dan Halutz, antigo chefe do Estado Maior. Olmert não admite afastar-se do cargo, mas promete “corrigir todos os erros” de um conflito que, pela primeira vez, atingiu o coração da sociedade civil israelita.

O conflito, entre Julho e Agosto de 2006, acabou com a imagem de “força invencível” do Tsahal e ficou marcado pela morte de 160 israelitas, sobretudo militares. A retaliação hebraica ao rapto de dois dos seus soldados – elemento catalizador da guerra – fez mil e duzentas vítimas mortais do lado libanês, na maioria civis.