Última hora

Última hora

Manifestação em Telavive encosta Olmert à "parede"

Em leitura:

Manifestação em Telavive encosta Olmert à "parede"

Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro Israelita Ehud Olmert mantém-se à frente do governo, apesar das inúmeras pressões para se demitir. Mas agora a ameaça surge do povo. Na praça Yitzhak Rabin, em Telavive, espera-se que mais de 100 mil pessoas marquem presença na manifestação contra a continuidade de Olmert à frente do governo.

Um protesto que pode reforçar a oposição interna no seu partido, o Kadima.

No parlamento israelita teve lugar um debate sobre o famoso relatório do inquérito à guerra do Líbano que colocou em causa a conduta do Estado.

Quem recolhe dividendos com esta crise é o líder da oposição, Benjamin Netaniahu. De acordo com sondagens, o partido Likud ganharia se houvesse eleições antecipadas.

Mas um escrutínio antes do tempo não é do agrado da número dois do governo, Tzipi Livni, que exigiu a demissão de Ehud Olmert e anunciou querer assumir a chefia do executivo.