Última hora

Última hora

O encanto de Blair à hora da despedida

Em leitura:

O encanto de Blair à hora da despedida

Tamanho do texto Aa Aa

Foi na localidade de Trimdon no nordeste de Inglaterra que em 1994 Tony Blair iniciou a sua escalada para o poder, ontem regressou ao ponto de partida, para anunciar que abandonará o cargo de primeiro-ministro no próximo dia 27. Ao final de dez anos de governo, Blair justificou a partida, afirmando que “a melhor forma de resistir à atracção do poder é abandonando-o”.

“Quero agradecer ao povo britânico pelos meus êxitos e pedir-lhes desculpas pelos meus fracassos. Boa sorte a todos”.

Sem nunca reconhecer o erro das alianças militares com Washington, que precipitaram a sua saída de cena, Blair preferiu fazer um balanço positivo de todas as reformas que protagonizou durante três mandatos.

Nas próximas sete semanas, vai prosseguir as despedidas no estrangeiro, na cimeira do G8 e no Conselho Europeu na Alemanha. A luta contra a pobreza e o aquecimento global, vão ser as últimas apostas para vencer a sua derradeira batalha política: a de relançar a popularidade dos trabalhistas.