Última hora

Última hora

"Igreja vermelha" e "Igreja branca" reconciliam-se em Moscovo

Em leitura:

"Igreja vermelha" e "Igreja branca" reconciliam-se em Moscovo

Tamanho do texto Aa Aa

A Igreja ortodoxa russa vira a página da revolução bolchevique. Dividida desde 1920 entre Moscovo e os dissidentes comunistas refugiados em Nova Iorque, as duas correntes da ortodoxia russa selaram a reconciliação na Catedral de Cristo Salvador, na capital russa.

Uma cerimónia à qual assistiu Vladimir Putin, mas também membros da família Romanov, descendentes dos últimos Czares. A eucaristia celebrada pelo patriarca de Moscovo, Alexis II e pelo primaz da igreja ortodoxa russa da diáspora, Laurus, foi marcada pela assinatura do acto de comunhão canónica.

Os sacerdotes das duas correntes, conhecidas durante décadas como “Igreja vermelha” e “Igreja branca”, continuarão no entanto a ser ordenados pelas respectivas hierarquias. A aproximação foi acordada há um ano durante o sínodo dos bispos da igreja da diáspora, ultrapassando a exigência de alguns clérigos que pediam que a igreja russa pedisse desculpas pela colaboração com o regime comunista.

O acordo deixa de fora a delicada questão da reunificação do património imobiliário. Com 300 paróquias em todo o mundo a igreja da diáspora mantém a sua autonomia.