Última hora

Última hora

Mundo da BD celebra centenário de Hergé

Em leitura:

Mundo da BD celebra centenário de Hergé

Tamanho do texto Aa Aa

O mundo da banda desenhada celebra esta terça-feira o centenário do nascimento de Hergé, o pai de Tintim. Uma data que é celebrada poucos dias depois do anúncio de Steven Spielberg e de Peter Jackson de que vão adaptar as aventuras do jovem repórter ao grande ecrã.

Hergé, cujo verdadeiro nome era Georges Rémi, nasceu em Bruxelas no dia 22 de Maio de 1907. Em 1926 torna-se conhecido ao criar Totor, personagem que se torna mascote dos escuteiros belgas. Em Janeiro de 1929, começa a publicar no “Petit Vingtième”, o suplemento jovem de um jornal católico, as aventuras de Tintim.

Hugues Dayez explica que inicialmente, “Hergé é como uma esponja que absorve as opiniões do seu tempo. Começa a trabalhar num jornal da direita católica, o Vingtième Siècle, de direita bem à direita, e pouco a pouco começa distanciar-se, a evoluir e chega mesmo a converter-se à filosofia oriental, a interessar-se pelo taoismo.”

As aventuras do jovem repórter conheceram um grande sucesso logo no início com “Tintim no País dos Sovietes” e “Tintim no Congo”, ambas escritas e editadas em 1931.

Pouco depois e graças aos conselhos de Tchang Tchong-Jen, um jovem estudante chinês que conhece em Bruxelas, o autor escreve a sua primeira história com base na actualidade. Hergé defende a causa chinesa durante o conflito sino-japonês.

Durante a segunda guerra mundial chega a ser acusado de anti-semitismo, acusação que sempre rejeitou. Hergé morreu em 1983.