Última hora

Última hora

Assassinos de Zoran Djindjic condenados à pena máxima

Em leitura:

Assassinos de Zoran Djindjic condenados à pena máxima

Tamanho do texto Aa Aa

Os dois principais acusados do assassinato do antigo primeiro-ministro sérvio Zoran Djindjic foram esta quarta-feira condenados à pena máxima de 40 anos de prisão por um tribunal de Belgrado. O tribunal estabeleceu que Zvezdan Jovanovic, um antigo boina vermelha, foi o autor dos disparos que mataram o antigo governante.

Milorad Ulemek, veterano de guerra e comandante de uma unidade de operações especiais foi dado como cérebro do atentado. A morte de Djindjic a 12 de Março de 2003 representou para muitos sérvios o fim das esperanças de ruptura definitiva com o que restava do regime autoritário do nacionalista Milosevic.

Três anos e meio depois da abertura do caso, a leitura da sentença põe termo àquele que foi considerado como o processo do século na Sérvia. A saída do tribunal para o crime organizado estava rodeada de um forte dispositivo de segurança na altura em que os familiares dos 12 acusados abandonaram a sala.

Uma manifestação organizada pelo Partido Democrata da Sérvia protestava contra o que consideraram ser uma sentença demasiado leve. As penas aplicadas aos restantes implicados na morte de Zoran Djindjic variaram entre os oito e os 35 anos. Segundo a acusação o antigo primeiro-ministro foi vítima de uma conspiração que incluia a mafia de Belgrado, os serviços secretos sérvios e a unidade de operações especiais da polícia, entretanto dissolvida.