Última hora

Última hora

Governo e oposição unidos contra ETA

Em leitura:

Governo e oposição unidos contra ETA

Tamanho do texto Aa Aa

Fragilizado pelo falhanço do projecto de paz para o País Basco, Jose Luis Rodriguez Zapatero endureceu o discurso contra o separatismo.

Uma posição apoiada pela oposição conservadora, que sempre rejeitou quaisquer negociações.

Caído por terra o diálogo com os separatistas bascos, que marcou os últimos tempos de governação socialista, a Espanha cerra fileiras contra a ETA.

Mariano Rajoy líder do Partido Popular afirmou após um encontro com o primeiro ministro: “eu não pus nenhuma condição ao Governo, a única coisa que disse foi que o apoiarei como sempre fiz, para que derrote a ETA”.

Maria Tereza Fernandez de La Vega, vice-presidente do Governo confirmou a intenção de unir forças entre o executivo e o PP: “Nesta reunião foi dado um primeiro passo para recuperar a confiança e trabalhar com a maior unidade possível”, referiu.

O cessar-fogo que vigorava desde Março de 2006 foi interrompido pela ETA no inicio deste mês.

Em carta publicada nos jornais espanhóis, o grupo justificou a decisão com as torturas, detenções e perseguições por parte do Governo.

Os separatistas adiantaram ainda em comunicado que as eleições municipais no País Basco não tinham legitimidade, uma vez que os movimentos políticos próximos da ETA tinham sido ilegalizados.

O grupo separatista Basco parece cada vez mais isolado em Espanha. No último fim de semana milhares de pessoas manifestaram-se a favor da paz e contra o terrorismo nas cidades de Bilbau e Pamplona.

Os protestos foram convocados pelo grupo Gesto pela Paz e contaram com representantes de todos os partidos políticos.