Última hora

Última hora

Novo governo palestiniano não chega a Gaza

Em leitura:

Novo governo palestiniano não chega a Gaza

Tamanho do texto Aa Aa

O governo palestiniano de emergência tomou posse este domingo. A primeira medida conjunta do novo primeiro-ministro, Salam Fayyad e do presidente da Autoridade Palestiniana foi o congelamento das contas bancárias do antigo governo chefiado pelo Hamas e a assinatura de um decreto que ilegaliza a força executiva e as milícias do movimento islâmico.

No discurso de tomada de posse, Fayyad dirigiu-se aos palestinianos da Faixa de Gaza nos seguintes termos: “Vocês estão nos nossos corações, nos nossos planos e são a nossa prioridade.”

A formação deste executivo surge na sequência da demissão do primeiro-ministro, Ismayel Haniyeh pelo presidente Abbas após a tomada do poder em Gaza pelas milícias do Hamas, depois de cinco dias de combates que fizeram mais de uma centena de mortos. Haniyeh não reconhece a legitimidade deste governo e comporta-se em Gaza como primeiro-ministro.

O porta-voz do Hamas, Fawzi Barhoum, reagiu acusando o presidente Mahmoud Abbas de “destruir o Hamas, destruir o governo de unidade e a solidariedade entre os palestinianos, para cumprir o sonho da América de Israel e da Europa”. “Este governo” afirma: “não é legítimo nem constitucional”.