Última hora

Última hora

Agente Laranja: três décadas de sequelas não assumidas

Em leitura:

Agente Laranja: três décadas de sequelas não assumidas

Tamanho do texto Aa Aa

Consideram-se vítimas do agente laranja e exigem indemnizações dos fabricantes do desfolhante altamente tóxico utilizado pelos Estados Unidos durante a guerra do Vietname. Muitos veteranos americanos e vietnamitas só tiveram sequelas dezenas de anos depois da guerra e não foram indemnizados até agora.

David Klein, que fala em nome do grupo “Veterans for Peace”, explica que para acabar com a guerra, é necessário, primeiro, ajudar as vítimas e os veteranos estão à espera de justiça, assim como o povo vietnamita quer ver respeitados os seus direitos. Os veteranos americanos apoiam todas as vítimas até que se faça justiça.

Entre 1962 e 71 a aviação americana lançou 80 milhões de litros do produto na floresta vietnamita com o objectivo militar de desflorestar, privando a guerrilha vietcong dos esconderijos.

Chamado “agente laranja” devido à cor dos bidons em que era transportado, um dos ingredientes do herbicida era um veneno potente, a dioxina TCCD.

Muitas das vítimas da segunda e terceira geração do agente laranja vivem nos terrenos das antigas bases militares americanas, onde o herbicida era armazenado em grandes quantidades.

Além dos seis mil locais onde foi lançado o agente, este infiltrou-se nos terrenos, nos rios, na cadeia alimentar.

Três milhões de pessoas foram directamente expostas durante a guerra, um milhão de pessoas sofrem de graves problemas e 150 mil crianças vivem, actualmnte, com malformações terríveis.

Os queixosos acusam 10 empresas que fabricaram aquelas dioxinas tóxicas, entre as quais a “Monsanto”. Em 2005, o argumento do procurador era o de que as companhias não eram obrigadas a produzir um produto que contivesse veneno; de facto, o governo encomendou-lhes a produção de um herbicida que não fosse perigoso para homens, mulheres ou crianças, essas eram as especificações do contrato governamental. Eles não cumpriram o pedido, sabendo o que faziam de forma continuada, porque queriam ganhar dinheiro fácil.