Última hora

Última hora

Construção civil paralisada em dois lander alemães

Em leitura:

Construção civil paralisada em dois lander alemães

Tamanho do texto Aa Aa

O sector da construção civil está parado em dois Estados regionais alemães, depois da greve decretada pelo mais importante sindicato deste sector, o IG Bau. A greve foi aprovada pela grande maioia dos membros do sindicato, nos lander da Baixa Saxónia e de Schleswig-Holstein. Os trabalhadores exigem melhores salários.

A principal reivindicação tem a ver com um acordo assinado entre os sindicatos e as federações patronais de todos os lander menos estes dois.

Como explica um sindicalista, a paralisação só pára quando houver uma assinatura no papel: “A greve dura até que o documento esteja assinado. Não posso dar uma data precisa para o fim, se é na quarta às seis da tarde ou não. É preciso que o patronato assine. Não há uma data pré-determinada”.

Este acordo foi conseguido, em Maio, ao fim de largos meses de negociação. Prevê um aumento gradual dos salários dos trabalhadores da construção civil, até Setembro do próximo ano.

Embora, por enquanto, os protestos estejam centrados nestes dois lander, é possível que se alarguem a outras zonas do território alemão. Na semana passada, a cidade-estado de Hamburgo viveu duas greves no sector e o clima parece estar a aquecer.

A Alemanha tem, ao todo, 680.000 trabalhadores da construção civil, dos quais 130.000 estão nos dois Estados regionais que estão agora em greve. O presidente da federação patronal da Baixa Saxónia ameaçou já recorrer à polícia, se os piquetes de greve impedirem os trabalhadores de cumprir o serviço.