Última hora

Última hora

Chirac recusa testemunhar no caso Clearstream

Em leitura:

Chirac recusa testemunhar no caso Clearstream

Tamanho do texto Aa Aa

Jacques Chirac recusa responder às perguntas dos juízes que investigam o caso Clearstream, mas está disposto a cooperar nos processos que o envolvem enquanto foi presidente da Câmara de Paris. É a resposta do antigo presidente francês, depois de intensos contactos para fixar uma data para testemunhar.

Num comunicado, Chirac evoca um artigo da Constituição, que impede um antigo chefe de Estado de testemunhar sofre factos passados no seu mandato e no exercício de funções.

Esta é a primeira vez que a justiça procura ouvir Chirac, depois de, a 16 de Junho, ter perdido a imunidade que gozou durante os 12 anos que ocupou o Eliseu.

O caso Clearstream remonta a 2004. O então primeiro-ministro, Dominique de Villepin, terá ordenado uma investigação aos serviços secretos sobre as listas das contas da empresa com sede no Luxemburgo. Foi acusado de tentar comprometer o então rival Nicolas Sarkozy, cujo nome integrava a lista, que se revelou falsa.