Última hora

Última hora

Cai o veredicto sobre "Ali o Químico"

Em leitura:

Cai o veredicto sobre "Ali o Químico"

Tamanho do texto Aa Aa

O processo sobre o genocidio curdo no Iraque termina com os veredictos de condenação à morte para o primo de Sadam Hussein, Ali o Químico, do antigo ministro iraquiano da Defesa, Sultan Hachim al-Tai e do chefe da Guarda Republicana, Hussein Rachid. Neste caso, tratado pelo Tribunal Especial iraquiano, seis réus que foram julgados pelo massacre de 182 mil curdos em 1988 durante o regime de Sadam Hussein na operação militar Anfal conduzida no curdistão iraquiano. O tribunal condenou ainda a prisão perpétua dois dos reús e abosolveu um terceiro.

O Veredicto mais esperado no entanto era o de Madjid, conhecido como Ali o Químico pela sua preferencia em recorrer a armas quimicas contra os adversários do regime que reconheceu durante o julgamento ter dados ordens ao exército para executar todos os curdos que recusassem partir. Durante o processo dezenas de testemunhas que sobreviveram relataram execuções sumárias, violações e torturas cometidas contra a população curda.