Última hora

Última hora

Relatório Mundial das Drogas deixa sinais positivos

Em leitura:

Relatório Mundial das Drogas deixa sinais positivos

Tamanho do texto Aa Aa

Há sinais positivos na luta contra a droga. A esperança é dada pelo Relatório Mundial da Drogas 2007, produzido pelo Escritório das Nações Unidas contra a Droga e o Crime. O director deste departamento garante que a toxicodependência já não é um comboio desgovernado: “A situação das drogas no mundo tem vindo a ser controlada. Era um comboio descontrolado. Agora está sob controlo. Há uma estabilidade total na produção, no tráfico, no consumo, seja na heroína, na cocaína, nas anfetaminas ou na marijuana”.

Apesar de se observar em todo o mundo uma diminuição das superfícies cultivadas com drogas, as produções continuam elevadas. Ajudar os toxicodependentes é uma das prioridades do relatório. São 200 milhões em todo o mundo, ou seja, 4,8 por cento da população mundial. E para 0,6 por cento destes, o consumo de estupefacientes é um problema grave.

O director do Escritório das Nações Unidas contra a Droga e o Crime, António Maria Costa, destaca, no entanto, uma droga em particular. “Os consumidores de marijuana não só estão a aumentar, como estão a ficar doentes. Permanentemente doentes. A capacidade de destruição dessa droga é muito alta agora, dez vezes mais do que quando eu era uma criança. E pode causar tantos danos como as outras drogas”, alerta. O Escritório das Nações Unidas contra a Droga e o Crime congratula-se que o combate ao tráfico se tenha tornado mais eficaz, mas recomenda que a luta insista na prevenção e na ajuda aos países produtores.