Última hora

Última hora

Onde todos os sonhos se tornam possíveis

Em leitura:

Onde todos os sonhos se tornam possíveis

Tamanho do texto Aa Aa

A cidade continua a ser o lugar possível de todos os sonhos, do fascínio sem falhas. Um habitante em cada dois, no planeta, viverá na cidade em 2008. É a conclusão do relatório da ONU sobre a população mundial. Em 2030, seis pessoas em cada dez viverão em cidades.

É uma explosão demográfica urbana que se prepara, tanto em África como na Ásia. A razão é o êxodo rural em massa, que nada pode impedir, mas que se pode antecipar, como explica a directora executiva das Nações Unidas, Thoraya Obaid. “Os políticos devem aceitar que os pobres têm o direito de procurar nas cidades um futuro melhor”, afirma.

As cidades crescem por todos o lados, mas na China, o crescimento é flagrante. Shunde é um exemplo. Em quatro anos, a população duplicou.

Os camponeses foram atraídos pelo “boom” económico da região de Guandong e quiseram tentar a sorte.

Luo Changkun e o marido vieram da província de Jiangxi, e trabalharam arduamente para economizar o suficiente para fazerem uma pequena empresa. Antigos agricultores, são os novos chineses urbanos… como Ajin. Afirma que tinha “uma pequena propriedade e agora é dono de um prédio de quatro andares”.

Esta migração para as cidades traz problemas: 40 % dos habitantes de Shunde não são residentes oficiais. As autoridades devem preparar as infra-estruturas e serviços para acolher em geral os agricultores deslocados por esta imparável expansão urbana.

Porque a cidade vai continuar a ser aquele lugar de todos os sonhos. Zhao Zhihua, tem 18 anos e chegou há dois anos com a família da província de Hunan. Ficou chocado com a cidade, quando chegou. Mas, afirma, “era tudo tão lindo, com prédios tão altos!”

A ONU sublinha que as cidades continuam a ser focos de pobreza mas também oferecem a esperança de melhor escapar a eles. A exercer um fascínio quase sem falhas.