Última hora

Última hora

Petróleo perto de máximo histórico

Em leitura:

Petróleo perto de máximo histórico

Tamanho do texto Aa Aa

O petróleo voltou a tocar em novos máximos, neste fecho da semana. O barril de Brent atingiu um novo máximo de 11 meses, acima dos 76 dólares, por culpa de raptos na Nigéria e de um crescimento na procura das refinarias americanas. É o valor mais alto desde Agosto do ano passado, altura em que a cotação do barril atingiu um máximo histórico por culpa dos bombardeamentos israelitas ao Líbano.

A média anual dos preços tem vindo a subir em flecha, nos últimos anos. Entre 2004 e 2006, o valor duplicou e, este ano, tudo aponta para que sejam batidos novos recordes.

Nos mercados, os analistas acreditam que a tendência é para que os preços subam ainda mais. Ray Carbone é corretor no mercado petrolífero de Nova Iorque: “Os países da OPEP não estão a conseguir produzir combustível em quantidades suficientes para satisfazer o mercado interno, o que é um factor de impulso para os preços do petróleo. Se houver novas subidas, isso não me surpreende nada”.

Depois de algum tempo de acalmia, a situação na Nigéria voltou a piorar.

O grupo rebelde, responsável pela violência que afectou o sector petrolífero no país no último ano e meio, decretou uma trégua de um mês que chegou agora ao fim. Já se registaram novos episódios de violência, nomeadamente com o ataque a uma instalação petrolífera e o rapto de uma criança britânica.