Última hora

Última hora

Antigo chefe da segurança alimentar da China executado por corrupção

Em leitura:

Antigo chefe da segurança alimentar da China executado por corrupção

Tamanho do texto Aa Aa

Foi hoje executado por corrupção o antigo director da agência chinesa para a alimentação e os medicamentos. Zheng Xiaoyu foi condenado no final de Maio por ter recebido luvas de empresas farmacêuticas no valor de 620 mil euros.

Demitido em 2005 após oito anos a chefiar a segurança alimentar chinesa, Zheng tinha implementado um sistema ilegal de autorização de medicamentos. Pelo menos oito empresas conseguiram autorizações em troca de dinheiro.
Cerca de 170 mil licenças de medicamentos atribuídas durante o seu mandato deverão ser revistas na sequência de vários incidentes graves.

Em 2006 as autoridades retiraram do mercado um antibiótico que causou efeitos graves na saúde dos pacientes, incluindo choques anafiláticos que podem ser mortais. Nesse ano, morreram onze pessoas depois de terem recebido injecções de um medicamento gástrico que continha diglicol, que é venenoso para os rins.

A lista de incidentes é longa. Em 2004, 13 crianças morreram de subnutrição depois de terem sido alimentados com leite em pó sem nutrientes. Estes casos suscitaram a desconfiança dos chineses face à industria farmacêutica do país. Mas também fora da China vários incidentes vieram pôr a nu as falhas da segurança dos produtos chineses.

Em Março de 2007 a FDA, a agência dos Estados Unidos para a segurança alimentar e dos medicamentos, descobriu melamina, um composto de adubo, em comida para gatos e cães fabricada no Canadá. A substancia estava num dos ingredientes, o glúten de milho, que provinha da China.Mais grave ainda, cristais deste contaminante foram encontrados na urina de animais mortos. Uma centena de marcas foi obrigada a retirar os seus produtos dos supermercados.

Em Maio de 2007, foram encontradas à venda, nos Estados Unidos, pastas de dentes de renome contendo um produto perigoso, o dietileno glicol. En 2006, 100 pessoas morreram no Panamá após terem consumido um xarope contra a tosse contendo esta substância utilizada na produção de líquidos anti-congelantes para automóveis.

Com os Jogos Olímpicos de 2008 no horizonte, as autoridades chinesas asseguram que o problema está controlado e garantem que em 2006 encerraram 150 mil empresas alimentares.