Última hora

Última hora

Desenvolvimento económico marca mandato de Erdogan

Em leitura:

Desenvolvimento económico marca mandato de Erdogan

Tamanho do texto Aa Aa

O mundo económico tem os olhos postos nas eleições turcas deste domingo. O governo liderado por Recep Tayyp Erdogan vai a votos, depois de cinco anos marcados pelo desenvolvimento da economia. Esse pode ser um dos grandes trunfos do partido no poder, isso apesar de grande parte dos 74 milhões de turcos continuar a viver na pobreza.

Segundo o analista Ugur Grusses, o segredo desse desenvolvimento não está na actuação do governo, mas sim na estabilidade: “Estamos a falar de estabilidade política. Se ela continuar, os activos da Turquia vão também continuar a ser valorizados”.

Em 2002, quando o actual governo chegou ao poder, o crescimento económico era de quase 8% ao ano. Agora caíu para os 6%. A taxa de inflação é agora cerca de um terço do que era. O desemprego esteve também a baixar, embora ligeiramente, e o rendimento per capita subiu dos 2150 para os 3900 euros anuais.

Grande parte do mérito desta recuperação vem da injecção de dinheiro feita pelo FMI. Nas ruas de Istambul, nem todos acham que a população esteja a ganhar. Para muitos, a situação económica não melhorou nos últimos cinco anos.

Sobretudo entre os mais pobres, o custo de vida continua a ser difícil. Diz um comerciante: “O negócio não está a correr bem. Antes, também não era bom. As pessoas pensam que as coisas são caras porque o poder de compra é baixo. Os comerciantes pequenos que pagam todos os impostos enfrentam grandes dificuldades”.

O partido no poder, o AKP, de centro-direita e tendência islâmica, tem como principal adversário a esquerda laica do CDH. Uma das principais críticas da oposição ao governo têm a ver com o ritmo das privatizações. Em quatro anos, o dinheiro gerado com a venda de empresas públicas foi mais de três vezes superior ao feito nos 17 anos anteriores.