Última hora

Última hora

Sócrates espera sinal verde da Polónia

Em leitura:

Sócrates espera sinal verde da Polónia

Tamanho do texto Aa Aa

A Polónia não deve colocar entraves à aprovação do novo tratado europeu. O presidente português da União acredita, que Varsóvia não deverá colocar em causa o sucesso da maratona negocial de Bruxelas.

O Reino Unido é outro dos países, que apresenta algumas reticências, mas Alain Lamassoure mostra-se optimista. “Estes dois paises são os que mais beneficiaram e que deram formalmente o seu acordo. A Polónia pela mão do presidente da Républica e do primeiro ministro, o Reino Unido por Tony Blair, e posteriormente, pelo seu sucessor Gordon Brown. Penso que o trabalho da Conferência Intergovernamental será essencialmente de ordem juridica”, conclui.

O analista Marco Incerti admite que o novo primeiro ministro britânico poderá cair na tentação de convocar um referendo para garantir o apoio da população.

O controlo nas questões de segurança nacional, política estrangeira e provisões da segurança social são para Gordon Brown inegociáveis. No entanto, e para o euro-deputado trabalhista, Richard Corbett a ideia de convocar um referendo é absurda. “O governo britânico corre o risco de se ridicularizar se convocar um referendo para alterar questoes pragamáticas como a mudança da duração da presidência da União de seis para 30 meses”, afirma.

Se tudo correr bem, o novo tratado deverá ser aprovado na cimeira informal dos Chefes de Estado e de Governo da União Europeia, presidida pelo primeiro ministro José Sócrates e agendada para 18 e 19 de Outubro.