Última hora

Última hora

Volta a França avança rumo a Paris apesar dos escândalos

Em leitura:

Volta a França avança rumo a Paris apesar dos escândalos

Tamanho do texto Aa Aa

A três dias do fim, a Volta a França espera ter acabado com os escândalos e interroga-se sobre o seu futuro. Esta quinta-feira, pela primeira vez, a camisola amarela não fez parte do pelotão que participou na etapa. O líder da classificação, Michael Rasmussen, foi obrigado pela própria equipa a abandonar a competição e o grupo.

Rabobank, o patrocinador, fala de um dia negro, mas resolveu manter os outros ciclistas em competição, mas sujeitos a controlos mais apertados.

Heleen Crieland, chefe do departamento de patrocínios do Rabobank, explica: “Esforçamo-nos por limpar o mundo do ciclismo e se queremos fazer isso temos de ter regras duras e ter a certeza de que são respeitadas por todos, em primeiro lugar, pelos próprios ciclistas”.

Michael Rasmussen venceu duas etapas desta edição, mas a equipa não lhe perdoou a mentira sobre o local dos treinos, em Junho, o que lhe permitiu evitar os controlos anti-doping surpresa. Falta saber se é último caso da semana, até porque o novo camisola amarela, o espanhol Alberto Contador, é também suspeito. Apesar dos escândalos o pelotão avança lentamente rumo a Paris, onde é esperado domingo.