Última hora

Última hora

Acaba o prazo para os 22 sul-coreanos raptados no Afeganistão

Em leitura:

Acaba o prazo para os 22 sul-coreanos raptados no Afeganistão

Tamanho do texto Aa Aa

Com o prazo do derradeiro ultimato dos taliban a terminar, a comunidade sul-coreana multiplica as vigílias e os protestos contra a presença das tropas no Afeganistão. Os extremistas prolongaram o prazo até esta sexta-feira de manhã para que as autoridades sul-coreanas libertem oito prisioneiros taliban, uma das condições exigidas para soltar os reféns. Um porta-voz da presidência sul-coreana voltou a recordar que a retirada das tropas do Afeganistão é uma decisão que já está tomada há mais tempo. O governador da província de Ghazni, onde os 23 sul-coreanos foram raptados, promete tentar a libertação até ao último momento. Se todos os canais de negociação falharem, será tomada a decisão apropriada… Só não diz qual. Os membros de uma igreja presbiteriana, na maioria mulheres, têm entre 20 e trinta e poucos anos. Um pastor, com 42 anos, foi encontrado na quarta-feira cravado de balas na região de Qarabagh, foi até agora a única vítima dos terroristas. A situação está portanto num impasse. A Coreia do Sul enviou um novo negociador, de urgência, para o território, para tentar levar as negociações a bom porto. Trata-se do maior grupo de estrangeiros raptados no Afeganistão desde a queda do regime taliban em 2001.