Última hora

Última hora

Desemprego em Espanha abaixo dos 8%

Em leitura:

Desemprego em Espanha abaixo dos 8%

Tamanho do texto Aa Aa

Os desempregados em Espanha representam agora menos de 8% da população activa. Os números, que são uma excelente notícia para o governo de José Luís Zapatero, devem-se sobretudo à integração das mulheres e dos imigrantes no mercado de trabalho. Parecem estar para trás os tempos em que a Espanha era campeã europeia do desemprego.

A taxa de desemprego tem vindo a baixar progressivamente. Em 2006, caíu dos 9% para os 8,5%. Zapatero acredita que os novos valores são uma vitória: “Quebrámos uma marca histórica e temos que felicitar-nos por isso. Chegámos a uma taxa de desemprego abaixo dos 8%, o que acontece pela primeira vez, em democracia, no nosso país”.

As mulheres têm agora um papel mais activo no mercado de trabalho, ao contrário do que acontecia há alguns anos. No início dos anos 90, a taxa de desemprego era superior a 20%. Mas não há bela sem senão: muito do emprego gerado nos últimos anos é precário, com os contratos a prazo a representar um terço dos postos de trabalho, 60% entre os jovens.

Muitos dos que ocupam estes postos precários são imigrantes, vindos da América Latina ou do Norte de África. A forte procura de mão-de-obra pouco qualificada fez os governos de algumas regiões estimular a imigração, ao oferecerem vantagens como por exemplo subsídios nas rendas de casa.