Última hora

Última hora

Japão:Shinzo Abe arrisca-se a pagar erros políticos nas urnas

Em leitura:

Japão:Shinzo Abe arrisca-se a pagar erros políticos nas urnas

Tamanho do texto Aa Aa

Dez meses após ser eleito, o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe vai ser submetido este domingo a uma prova de fogo durante as eleições parciais para o Senado. A má gestão da reforma da segurança social e a sucessão de escândalos e demissões no governo, deverão afectar o resultado da coligação governamental do partido Liberal Democrata com o partido Novo Komeito. Face a um nível de impopularidade recorde de quase 60%, as duas formações poderão perder a maioria no Senado para a oposição Democrata, levando Abe a demitir-se ou a enfrentar uma crise política prolongada. Um japonês afirma que o partido de Abe está há demasiado tempo no poder e deixou de ser eficaz, sobretudo depois do aumento das contribuições para a segurança social. Outra afirma que Abe é demasiado jovem e falta-lhe firmeza. Se conseguir ultrapassar os defeitos, poderá melhorar o seu desempenho. As últimas sondagens prevêm que a oposição do partido Democrata poderá ganhar os mais de 60 lugares que garantem a maioria no Senado. Uma situação que segundo os analistas criaria uma situação de bloqueio institucional, com o parlamento dominado pelo partido do governo e o Senado, com direito de veto, controlado pela oposição. Um cenário ainda em aberto, quando 40% do eleitorado se declara ainda indeciso.