Última hora

Última hora

Rebeldes do Darfur exigem ter coordenador humanitário em Arusha

Em leitura:

Rebeldes do Darfur exigem ter coordenador humanitário em Arusha

Rebeldes do Darfur exigem ter coordenador humanitário em Arusha
Tamanho do texto Aa Aa

Um dos grupos de rebeldes do Darfur recusa-se a participar hoje na Reunião de Arusha, Tanzânia, se Souleiman Jamous, um dos seus membros mais importantes, não for autorizado a ir. Jamous, coordenador humanitário do Exército de Libertação do Darfur, está retido há 13 meses num hospital da ONU. Cartum ameaça detê-lo se ele sair. Ataques aos comboios das agências humanitárias deixaram 500 mil pessoas do Darfur sem qualquer assistência.

Observadores dizem que o papel de Jamous é importante como intermediário entres os agentes humanitários e os rebeldes e até na unificação das várias facções de insurgentes. A reunião de Arusha ocorre na sequência da decisão do Conselho de Segurança da ONU de enviar uma força de 26 mil homens para a martirizada região.

A missão conjunta ONU/União Africana vai demorar alguns meses a chegar ao terreno onde 200 mil pessoas já terão perdido a vida.