Última hora

Última hora

Maquinistas alemães mantêm braço-de-ferro

Em leitura:

Maquinistas alemães mantêm braço-de-ferro

Tamanho do texto Aa Aa

Os maquinistas alemães não desarmam. O Tribunal de Trabalho de Nuremberga proibiu a realização de qualquer greve até 30 de Setembro, mas um iato detectado na lei alterou o rumo dos acontecimentos. A greve nacional prevista para esta quinta feira acabou, assim, por ser substituida por uma paralisação dos combios regionais entre as 8 e as 10 da manhã, horas locais.
O protesto afectou milhares de passageiros nas cidades de Berlim e Hamburgo.

O Sindicato dos Maquinistas exige um acordo colectivo separado do conjunto dos 134 mil trabalhadores dos caminhos de ferro alemães e um aumento salarial de 31%. Mas a Deutsche Bahn não se mostra disponível a utrapassar os 4,5%. O tribunal de Nuremberga, que impediu a realização da maior greve dos últimos 15 anos, justificou a decisão com os avultados prejuízos que a paralisação poderia provocar em pleno período de férias.